Arquivo de dezembro \23\UTC 2008

Sobre o Natal –

main_image

por Nilton Rodolfo

“Porque um menino nos nasceu,um filho se nos deu;e o principado está sobre os seus ombros;e o seu nome será Maravilhoso,Conselheiro,Deus forte,Pai da eternidade,Príncipe da paz.”(Isaías 9.6)

O Natal se aproxima. As pessoas estão comemorando o nascimento de Jesus! Ou pelo menos deveriam estar…

É engraçado como são diversas as formas de se comemorar o natal. Alguns cultuam a um Jesus bebê que está numa manjedoura; outros adoram a um Jesus que está preso na cruz do calvário e outros só querem saber de curtir este período de festas com seus amigos e familiares.

O interessante é que cada tipo de pessoa acima citado tem uma característica importante. Vejamos:

– Jesus nasceu numa estalagem,foi envolvido em panos e posto numa manjedoura(Lucas 2.7). Ele(Jesus) foi um bebê sim,foi uma criança que revelou o grande amor de Deus por nós. Mas Ele cresceu e deixou de ser um bebê.

– Jesus morreu na cruz do calvário para nos salvar (Colossenses 2.13-15). Mas Ele não está mais na cruz, Ele ressuscitou!

-“Mas,se andarmos na luz,como ele na luz está,temos comunhão uns com os outros,e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho,nos purifica de todo pecado.” (1 João 1.7). É interessante como o amor de Deus gera comunhão entre as pessoas. Mas infelizmente, alguns fingem ter essa “comunhão” na época do Natal,e isso acaba se tornando hipocrisia.

Bem, eu quero te estimular a celebrar o nascimento(Isaías 9.6/João 3.16-18), a morte(Isaías 53.4-12), a ressurreição(Mateus 28.2-6) e o amor de Jesus não só na época do Natal, mas a cada dia de sua vida. Sei que às vezes vem o desânimo, as tribulações e outras coisas para nos fazer desistir da carreira que nos está proposta, mas aprenda a correr essa carreira rumo ao céu “olhando para Jesus,autor e consumador da fé” (Hebreus 12.1-14). Nunca se esqueça de que Jesus é autor e consumador da fé, ou seja, você só vai permanecer na corrida se começá-la e terminá-la com Jesus. Porque há muitas pessoas que começam com Jesus, mas que depois de certo tempo, pensam que são “super-crentes” e começam a trilhar sozinhos…Jamais faça isso! Sempre dependa de Deus!

Esse é o meu recado para você e também para mim. Que Deus nos abençoe!

Anúncios

Deixe um comentário

Natal: Pagão ou Cristão?

img_00031


Não há dúvidas do impacto do natal na sociedade, sempre quando chega o final do ano( e conseqüentemente o natal também), vemos milhares de luzes acesas, juntamente com muitas lojas cantando um Jingle Bell. Todavia, o natal sem sombra de dúvida ainda é motivo de controvérsia. Tanto teológica quanto socialmente. Na parte “social” o que muitas pessoas reduziram esta festa a apenas um gasto de dinheiro.

Porém dentro de um contexto mais cristão, certamente existem implicações teológicas consideráveis a respeito do natal. Será ele uma ordenança bíblica? Ou simplesmente uma festa pagã? É necessário comemorar o natal, ou simplesmente devemos fazer uma festa social em nossa casa? Mas então e a celebração religiosa? Todas essas dúvidas e opiniões divergentes ainda existem hoje.
De um lado há pessoas que classificam o natal como elementos do paganismo da Idade Média, assim também como da tradição Nórdica. Não é necessário o crente celebrar o natal, uma vez que não há ordenança bíblica para isso, sempre vemos a igreja cultuando a Deus no domingo, e não simplesmente em outro dia. Por falar em dia, o dia em que celebramos essa festa nada mais é do que um dia estabelecido baseado no dia de um deus pagão romano. Ainda existe a polêmica sobre a árvore de natal, seria ela um simples emblema pagão e que visava a idolatria? E que dizer do “bom velhinho”? Seria ele o que afirma meu amigo de caminhada Carlos Eduardo, o “satãnoel”? Todas essa afirmações e dúvidas devem ser ponderadas pela sabedoria bíblica, por isso, certas observações devem ser feitas aqui.
1º NÃO DEVEMOS CONSIDERAR O DIA DE NATAL COMO DIA SANTO.
Muitos crentes que há muito estão afastados da casa do Senhor, na maioria das vezes, comparecem a celebrações de natal em nossas igrejas, no geral apenas para ver um parente se apresentar em uma “comédia” ou cantata de natal, porém alguns vão simplesmente porque questão de tradição, por achar bonito, ou pior, por considerá-lo um dia santo. Não existe, além do domingo, um dia santo especificado na igreja. É óbvio que devemos santificar o dia em adoração a Deus, e em certo sentido todo o dia é dia do Senhor, todavia, em nenhum momento me sinto obrigado a ter que celebrar o dia de natal, podendo inclusive celebrar, se eu quisesse, em outra data do que 25 de dezembro.
2º O CRISTÃO NÃO É OBRIGADO A IR PARA A IGREJA NO DIA DE NATAL.Essa segunda consideração está ligada com a primeira, como um natal não é um dia santo, não há necessidade do crente ter a obrigação de ir para a igreja no dia de natal.3º DEVE HAVER LIBERDADE DE CONSCIÊNCIA NESTA QUESTÃO.Muitos crentes que são a favor da celebração do natal condenam outros que preferem não celebrá-lo por questões teológicas. Deve haver respeito de ambos os lados, e nenhuma consciência deve ser forçada a aceitar alguma imposição, se quiser comemorar o natal, comemore, se não quiser, não comemore.Mesmo depois de todas essas precauções ainda existem certas restrições ao natal, será que ainda devemos comemorá-lo?Devemos ter em mente o princípio que esse debate gira em torno da questão da adoração. È comum vermos nas igrejas livres(metodistas, batistas, pentecostais) a visão da adoração como gratidão, e não como obediência(não que a obediência não esteja incluída, o que me refiro é a questão da ênfase, claro que isso está invertido em alguns lugares). Enquanto que nas igrejas de tradição reformada(principalmente calvinistas como presbiterianos e anglicanos da ala baixa), a ênfase está na obediência, e não se deve acrescentar nada que não esteja prescrito nas Escrituras no culto à Deus.
Essas visões vem desde Lutero a Calvino. Lutero cria que nada que estivesse contra as Escrituras poderia ser utilizada no culto a Deus(obviamente com certas restrições), enquanto que Calvino cria que a Escritura era suficiente para a adoração, e todo e qualquer acréscimo era humano, por isso, extremamente perigosos e não confiável, quem estabelece a adoração a Deus é o próprio Deus e não nós. Ou seja, Lutero cria no culto a Deus mais como gratidão, enquanto que Calvino cria que o culto a Deus era obediência.
Dessas duas visões, certamente Calvino é mais bíblico do que Lutero. A Bíblia claramente mostra que a obediência é extremamente aprazível a Deus, além do que, ela nos aconselha a não irmos além do que está escrito e também que Deus é quem estabelece a adoração( 1Co 4:6, Dt 12:38).
Todavia, isso não significa que não tenhamos espaço para oferecer uma adoração de gratidão a Deus, devemos sim agradecer a Deus por seus atos graciosos para conosco, todavia devemos saber como agradecer. Há respaldo bíblico para lembramos o natal e nos alegrarmos? Certamente que há. Como cristãos, devemos lembrar do testemunho da Escritura a respeito de Jesus, e devemos celebrar a morte de Cristo principalmente, pois isso é tanto por mandamento como que por gratidão, enquanto que o natal é simplesmente uma oferta de gratidão a Deus, que pode ser oferecida ou não pelos crentes. Como já falei, se quiser, celebre, se não quiser, não se celebre. Deve-se lembrar também que o nascimento de Jesus foi um momento especial, a ponto da Escritura relatar este fato e ela também relata a alegria dos anjos:
“Ora, havia naquela comarca pastores que estavam no campo, e guardavam, durante as vigílias d enoite, o seu rebanho. E eis que o anjo do Senhor veio sobre eles, e a glória do Senhoros cercou de resplendor, e tiveram grande temor. E o anjo lhes disse: Não temais,porque eis aqui vos trago boas novas de grande alegria, que será para todo o povo: pois na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor. E isto vos será por sinal: achareis o menino envolto em panos, e deitado numa manjedoura. E no mesmo instante, apareceu com o anjo uma multidão de exércitos celestiais, louvando a Deus, e dizendo:
Glória a Deus nas alturas, paz na terra, boa vontade para com os homens”(Lc 2:8-14)

Não devemos esquecer algo maravilhoso como este, lembrando que é extremamente recomendável que a igreja utilize desse dia para pregar e anunciar a Cristo.

Soli Deo Gloria

Deixe um comentário